});

Projeto autoral

Cantar o amor é uma missão que levo muito a sério. Costumo dizer que canto o que vivo, e que a música tem que tocar em mim, tem que falar comigo também, para que eu possa interpretar com sinceridade e transmitir toda a emoção que os noivos esperam.

Desde criança eu escrevo minhas imaginações, poesias, sonhos, memórias… Tenho vários caderninhos e diários guardados com estes registros. Como é bom conferi-los de vez em quando! Além das cartas de amor que o Wesley e eu trocávamos durante o namoro…

Desses manuscritos saíram algumas músicas que falam de alegria, esperança, fidelidade e sobretudo, amor. Tão bom quanto cantar o amor dos outros é cantar o amor que a gente vive! Sou sempre grata a Deus por me cercar de pessoas de bom coração, por me dar uma família linda e um esposo apaixonado que faz de tudo para me ver feliz.

Aliás, o Wesley foi o principal incentivador deste meu projeto autoral. Ele sempre acreditou nas minhas poesias, nos meus textos, e via uma música em cada palavra. Mas eu não me empolgava tanto, acho que todo “criador” é bem crítico com suas obras, não é? A gente sempre acha que falta algo mais, que pode melhorar. Mas ele sempre admira tudo que faço, e às vezes me intriga porque, como posso saber se realmente ficou bom? Ele é suspeito né, é meu esposo!

Mas de tanto ele me “empurrar” me tranquei por algumas vezes no estúdio e compus algumas músicas inspiradas pela minha história (nossa história) e histórias de amor de casais que passaram por nossas vidas.

A música Passa O Tempo é a mais romântica e delicada. Os arranjos são bem suaves. A letra fala sobre o verdadeiro amor, que é paciente, não causa mal, não perde seu encanto e dura para sempre. Eu queria um cenário rústico e acolhedor para o clipe desta música, que imprimisse simplicidade e leveza, assim como os arranjos musicais, sem mistérios. A Fazenda Bougainville Farm em Caeté – MG é um sonho e abriu as portas para o nosso projeto. Foi perfeito, do jeitinho que imaginei!

Outras 2 músicas fazem parte deste projeto inicial, Todo Mundo Sabe e O Amor Que Eu Desenhei (clique nas músicas para ouvir). São mais animadinhas ao estilo folkmusic, com destaque para o Metalofone (apenas em O Amor Que Eu Desenhei) e o violão Resonator, tipo de violão com som metálico que lembra banjo.

A base instrumental de todas as músicas foi teclado, violão, viola (violino), baixolão e bateria/percussão.

Confira o clipe a seguir